sábado, 25 de março de 2017

QUARTA DIMENSÃO / O DEMÔNIO ENFURECIDO / 4D MAN - ESTADOS UNIDOS (1959)




A Busca Pela Quarta Dimensão

Scott Nelson (Robert Lansing) é um cientista, líder de um centro de pesquisas. Suas duas grandes paixões são o seu trabalho e Linda Davis (Lee Meriwether), sua assistente. Nelson desenvolve um material impenetrável e de extrema densidade: Cargonite. Finalmente parece ser sua chance de desfrutar de anos de pesquisa,  apesar de o dono do laboratório, Theodore W. Carson  (Edgar Stehli), reivindicar a liderança dos resultados. Tudo muda quando seu irmão Tony Nelson (James Congdon), em uma experiência mal sucedida em outro estado, resolve lhe visitar e lhe dá uma notícia inesperada: ele conseguira criar um dispositivo capaz de atravessar matéria sólida. Scott fica descrente com a notícia que invalidaria toda a sua pesquisa, mas tenta convencer Tony a trabalhar com sua equipe. A aproximação dos irmãos começa a trazer problemas rapidamente: Scott, que resolvera pedir Linda em casamento, percebe que esta está apaixonada pelo irmão. Scott resolve testar as experiências do irmão e consegue atravessar sua mão em um objeto sólido. Mas este é apenas o início dos problemas: Scott percebe que consegue atravessar qualquer objeto, porém há um preço a ser pago e ninguém mais estará a salvo.



Em dezembro de 1961 chegava aos cinemas um filme com o curioso título de "O Demônio Enfurecido", a crítica até recebeu a produção com um certo interesse, mas o que esse título tinha a ver com o filme?. Quando foi para a Tv, ganhou um nome mais fidedigno: "Quarta Dimensão". O filme passou pela TV Rio (canal 13) e TV Tupi na década de 70. Nos anos 80 foi exibido pela Tv Globo. Nos anos 90 foi para o SBT e Bandeirantes. O interessante é que, quando exibido no cinema, teve uma aceitação maior do que na telinha. As colunas de TV dos jornais quase sempre fizeram sinopses como se fora um filme menor e foi até parar no Cine Trash da TV Bandeirantes.

 
Co-escrito por Theodore Simonson que, com o diretor  Irvin S. Yeaworth Jr. (1926–2004), estiveram juntos no famoso filme "A Bolha Assassina" (1958), que tinha um ator que viria ser do primeiro escalão de Hollywood:   Steve McQueen (1930–1980), que ainda assinava como Steven McQueen, Quarta Dimensão fugia do conceito monstros do espaço, monstros do sobrenatural ou monstros da lagoa. A ideia foi centrar em um monstro bem comum e mais real: o ser humano. Com uma produção bem modesta e um elenco de desconhecidos, na época, o filme investiu num roteiro muito criativo que até hoje prende a atenção. O consenso entre os críticos é de, que nas mãos de um diretor mais habilidoso, o filme poderia ter se tornado um clássico da ficção científica, visto que a estória e os atores são o ponto forte da produção. 


A história do homem que sempre sonhou em ser reconhecido em sua profissão e conseguir a mulher dos seus sonhos não é nova. Ter essa mulher cortejada pelo irmão, que parece pronto a destruir sua descoberta e levá-lo novamente ao ostracismo muito menos. Mas há algo a ser adicionado ao contexto: a ficção científica e a transformação de um homem honrado em um ser que abandona seus escrúpulos em prol da própria sobrevivência. Scott é um homem centrado, calmo e muito profissional. Tony um homem emotivo, que arrisca o pescoço de forma perigosa em prol de suas descobertas a ponto de colocar fogo em um laboratório. Dois homens completamente diferentes apaixonados pela mesma mulher. Linda é jovem, cheia de vida e vê em Tony sua cara metade. Scott assiste novamente o irmão tomar uma paixão de seus braços. Fizera no passado e o faz novamente. Scott descobre possuir impulsos cerebrais acima da média. Realiza a experiência do irmão, mas está envelhecendo rápido a cada uso de seus poderes. Sua força vital se esvai rapidamente. Como obter força vital ? Um roteiro muito bem feito.


Os efeitos especiais são muito bons para a década de 50 e quem gosta de assistir clássicos da ficção científica (muitos espectadores o consideram) é um prato cheio. Muita imaginação, muita criatividade e efeitos que devem ter impressionado, principalmente a do ator principal atravessar a mão em um bloco e, posteriormente,  atravessar paredes. As cenas de sua conversão ao mal, ao se deparar com uma maçã,  a loja de joias e um banco deve ter ficado na memória de varias pessoas que não mais se lembram do nome deste filme. A trilha sonora composta de peças de Jazz, destoou do clima do filme que poderia ter usado uma trilha mas adequada ao suspense.


Quanto aos atores podemos dizer que  Robert Lansing (1928–1994), um ator de seriados, estreou no cinema neste filme e não fez feio. Fazendo o irmão Tony, James Congdon, vinha de pouca experiência no cinema sendo também um ator mais de seriados e, assim continuou, até sua última aparição em 1986 no seriado "The Equalizer". Lee Meriwether participou de uma série famosíssima: "O Tunel do Tempo" (1966 a 1967) e foi a Mulher Gato (elogiadíssima) na versão cinematográfica da série sessentista Batman em "Batman - O Homem Morcego" (1966), aquele com Adam West. A atriz teve participações em vários seriados e ainda está na ativa com um filme a ser lançado: "Waiting in the Wings: Still Waiting" (2017). Meriwether foi Miss America em 1955 e está linda neste filme. Atualmente ainda é muito bonita.


Quarta Dimensão (ou "O Homem da Quarta Dimensão" como eu vi na primeira vez em algum canal) é um filme ainda hoje muito interessante e prende a atenção o que, convenhamos, para um filme de ficção científica do final da década de 50, é algo a ser citado. Não que não existam boas produções. Existem como "O Incrível Homem Que Encolheu" (1957) e "A Mosca da Cabeça Branca" (1958) e são até superiores, mas nada tira o charme dessa produção de baixo orçamento e muita garra para fazer um filme que ainda desperta curiosidade 58 anos depois.

Trailer:



Curiosidades:
Patty Duke (1946–2016), no papel da menina Marjorie, ficou famosa pelo filme "O Milagre de Anne Sullivan" (1962), onde ganhou o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante.



 Lee Meriwether:

JORNADA NAS ESTRELAS
QUARTA DIMENSÃO










O TÚNEL DO TEMPO
BATMAN










 
ATUALMENTE



quinta-feira, 23 de março de 2017

KERUAK, O EXTERMINADOR DE AÇO / VENDETTA FROM THE FUTURE / HANDS OF STEEL (1986) - ITÁLIA










“O futuro não é mais como era antigamente” **

Num futuro próximo, em que a poluição tomou conta do mundo, um carismático  reverendo ecológico luta contra as grandes corporações que poluem o planeta, em um planeta cercado de gases tóxicos e chuvas ácidas. Um conglomerado internacional resolve liquidá-lo e envia Paco Queruak, um soldado ferido na América Central e reconstituído com 70 % do corpo  mecanicamente. Quando a missão não ocorre de acordo com o esperado a corporação e o FBI vão em seu encalço.




Bom, o futuro próximo era o de 1997,  considerando que a produção era de 1986. O planeta aqueceu rapidamente. Um homem luta contra uma corporação que o quer ver morto. O filme apostou que o mundo já estaria tão evoluído em robótica que teríamos ciborgues ou androides caminhando por aí.



Rever filmes assim é algo bem legal. Primeiro para ver a visão errônea dos envolvidos, depois os plágios, ops, quero dizer, as homenagens ou referências. Temos a do clássico "O Exterminador do Futuro", na cena em que ele conserta o braço; "Blade Runner", na cena da chave de perna de uma androide. "O Homem  de Seis Milhões de Dólares" ou a "Mulher Biônica", quando os investigadores citam o termo “homem biônico”; os homens de capacete de "Fuga do Bronx" e até de "Shane": tem a mulher, os malvados e uma rápida aparição de um garotinho no ferro velho do senhor que vende o carro a Keruak. O lugar é árido como em "Mad Max" e tem até a ciborgue com os olhos vermelhos dos robôs de "O Aniquilador". Ou seja: uma salada de filmes já feitos. Essa mistura tornou o filme até interessante, na época do VHS, porque tinha um cartaz muito bem bolado, coisa comum em filmes de baixo orçamento da época e que pouco tinham em comum com o que se via na tela. Mais ou menos como ir a um fast food, pedir o alimento da fotografia e receber a constatação real do pedido (me lembrou a cena do filme Um Dia de Fúria)





Keruak é curioso até no nome. No Brasil levou esse título, mas o personagem é chamado de Queruak, inclusive  aparece o nome correto nos computadores dos investigadores. Ou alguém da distribuidora dormiu no filme ou resolveram que outro nome seria melhor. O filme leva o título internacional de “Hands od Steel”, mas é uma produção italiana, com o nome de “Vendetta dal Futuro”. Normalmente essas produções eram feitas na Itália (essa foi noticiada como rodada nos EUA, Arizona, e em estúdio na Itália) para baratear os custos e utilizavam também atores e técnicos  italianos com pseudônimos americanos. Não enganavam os americanos, por causa do sotaque, mas conseguia chegar por aqui enganando uma parte da mídia especializada (alguns atores italianos eram dublados para a língua inglesa).



Keruak não é uma obra prima, mas divertia na época e ainda diverte um pouco, dependendo do seu nível de exigência de qualidade. Paco é um ciborgue meio homem, meio máquina, programado para ser de eficiência máxima, mas algo dá errado e ele não cumpre sua missão (acho que os produtores de Soldado Universal gostaram também dessa ideia). Só que ele tem um “defeito” e falha. Claro que todos estarão atrás dele. Ele vai parar em uma espelunca, meio bar e motel e o roteiro começa a provar suas “qualidades”: ele pede um quarto e não tem dinheiro (chega à pé onde todo mundo chega de carro). Tudo bem, tem cara de ser um cara legal (na verdade não tem !) e ganha um serviço para pagar a moradia oferecida pela dona e solitária Linda (Janet Agren). O lugar tem uns competidores de braço de ferro, mas só Raul Morales (George Eastman) é quem se proclama o mais durão do lugar (e nem é o campeão !). Ele inferniza nosso herói que o derrota em uma simples disputa e o faz passar vergonha. Pronto, temos o segundo  cara mau da estória, o primeiro é o industrial que criou Paco, Francis Turner (John Saxon).





No elenco, o nome de peso da época era John Saxon, que ficou famoso no filme "Operação Dragão" ao lado da lenda Bruce Lee.  O ator se limita a aparecer em umas 5 cenas e, perto do fim, carrega um canhão laser de mão (e de plástico!).  Daniel Green apareceu em "O Amor é Cego" e ainda faz umas aparições em filmes. Aqui sua (falta de) expressão impressiona. É o mesmo rosto em todas as cenas (Ah sim, claro, ele é um ciborgue, mas até Schwarzenegger sabe fazer robô). Janet Agren  interrompeu sua carreira cinematográfica em 1991. Ela se limita a ajudar e se apaixonar pelo nosso herói.  O ator italiano George Eastman (ou Luigi Montefio) está engraçado como o caminhoneiro que perdeu a luta, a grana e a amada (que não lhe suportava por seu jeito brucutu, mais brucutu que o androide se isso é possível.). Hilário mesmo. Eastman escreveu, posteriormente, várias estórias e roteiros para mini séries italianas. Não atua desde 2004.A ciborgue loira que ataca keruak não tem o seu nome relacionado nos sites oficiais.




Keruak, ainda que tenha vindo oriundo do cinema, desapareceu junto com o VHS, aparecendo em parcas exibições na Tv aberta pelo SBT nos idos dos anos 90, voltando depois  ao ostracismo. Sobrevive atualmente de postagens no YouTube. É um passatempo descompromissado (com um final surpresa, mas não espere muita surpresa não) de uma época que boas estórias (mesmo pouco originais) sobrepunham os efeitos (toscos) e fazia a festa daquela geração carente de efeitos incríveis como os de hoje.

Trailer:






Curiosidades:

Claudio Simonetti é brasileiro, nascido italiano e compôs o tema instrumental. Foi efetivo colaborador de George Romero e também trabalhou em filmes de Dario Argento.

Sergio Martino (usando o pseudônimo de Martin Dolman) dirigiu Daniel Greene também em "Punhos de Exterminador" (1988). Martino é mais conhecido por ser diretor do filme "A Montanha dos Canibais" (1978) com Ursula Andress.

O ator Claudio Cassinelli, que fazia o personagem Peter Howell, faleceu durante as filmagens quando, em uma das cenas, o helicóptero bateu em uma ponte.

O filme teve vários títulos: “Hands of Steel”, “Fists of Steel”, “Vendetta From the Future” e “Atomic Cyborg”

Cartazes: 





Filmografia Parcial:
Daniel Greene
Keruak, O Exterminador de Aço (1986); Comando de Resgate (1988); Punhos de Exterminador (1988); Arthur 2, o Milionário Arruinado (1988); Elvira: A Rainha das Trevas (1988); No Limite da Loucura (1996);  Eu, Eu Mesmo e Irene (2000); O Amor É Cego (2001); Ligado em Você (2003); Amor em Jogo (2005); Genghis Khan: The Story of a Lifetime (2010); Passe Livre (2011); Debi & Lóide 2 (2014).

Janet Agren
Diário de um Gângster (1972);  Meu Nome é Providence - Caçador de Recompensas (1972); A Mais Bela Noite da Minha Vida (1972); La polizia interviene: ordine di uccidere! (1975); A Caverna dos Tubarões (1978); Crime Perfeito (1978); Perseguição Mortal (1978); Maria - Nur die Nacht war ihr Zeuge (1980); Pavor na Cidade dos Zumbis (1980); Pânico (1982); Keruak, O Exterminador de Aço (1986); Aladdin (1986); O Rato Humano (1988); Forever (1991)

George Eastman
Django Mata em Silêncio (1967); Django, O Último Matador (1967); Os 5 Condenados (1969); Satyricon de Fellini (1969); A Colina dos Homens Maus (1969); Os Guerreiros do Bronx (1982); Rei Davi (1985); Keruak, O Exterminador de Aço (1986); O Pássaro Sangrento (1987); Os Bárbaros (1987);

John Saxon
O Passado Não Perdoa (1960); Quadrilha do Inferno (1961);  Operação Dragão (1973); Noite do Terror (1974); O Império do Crime (1976); Resgate Fantástico (1976); Shalimar (1978); O Cavaleiro Elétrico (1979); Mercenários das Galáxias (1980); O Homem com a Lente Mortal (1982); A Hora do Pesadelo (1984); Keruak, O Exterminador de Aço (1986); A Hora do Pesadelo 3: Os Guerreiros dos Sonhos (1987); O Último Samurai (1988); Amor do Futuro (1990);  Um Tira da Pesada 3 (1994); O Novo Pesadelo: O Retorno de Freddy Krueger (1994); Revanche Sangrenta (2001); Armadilha do Terror (2006); Genghis Khan: The Story of a Lifetime (2010);After the Thunderstorm (2017)


** (trecho da música “Índios” do Legião Urbana)

segunda-feira, 20 de março de 2017

KONG: A ILHA DA CAVEIRA / KONG: THE SKULL ISLAND (2017) - ESTADOS UNIDOS



Quando ainda não era King, só Kong


Volta e meia o cinema revisita alguns filmes que fizeram sucesso no passado e aí criam reboots, prequels, refilmagens; quase sempre cópias preguiçosas de seus antecessores. Kong: A Ilha da Caveira resolve dar um novo gás à franquia criando uma ambientação bem diferente: sua ação se passa em uma ilha, seus adversários não são tiranossauros como o do diretor Peter Jackson (2005), mas são criaturas de um mundo que ficou perdido no meio ao Pacífico,  rodeado de ventos e tempestades duradouras sendo possível sua localização apenas através de Satélites. E é a partir desse ponto que o filme flui.  



Bill Randa (John Goodman, em um bom papel) consegue uma equipe de civis e militares para explorar a ilha. A época: logo após a guerra do Vietnã. Soldados jovens e inexperientes, um militar (Samuel L. Jackson) que não aceita ter perdido uma guerra e resolve criar a sua própria, uma fotógrafa anti-guerra (Brie Larson) e um explorador (Tom Hiddleston, o Loki dos Vingadores). Todos em uma missão guiada por
Bill que visa mapear a ilha para descobrir seus mistérios, mas há algo escondido na missão e seu real motivo surge rapidamente. 



Kong já começa bem. Nada de enrolar com o mistério de sua aparição. Depois de uns 12 minutos presenciamos uma primeira cena inicial de tirar o fôlego: Kong cercado por helicópteros de guerra e a câmera girando e nos dando um panorama completo da situação, inclusive do ponto de vista dos ocupantes do helicóptero. A equipe, com armamentos incomparáveis com o nosso atualment, é dizimada e os que sobrevivem se separam e tentam resistir a toda sorte de criaturas gigantes que a ilha ainda abriga. Um grupo fica com Preston Packard (Jackson), compostos basicamente de militares, e outro, fica com civil James Conrad (Hiddleston) que tenta escapar da ilha.



Kong foge completamente das versões anteriores, mas insere alguns elementos icônicos desses filmes. Esqueça aquela coisa poética do macaco apaixonado ou protegendo a sua amada. Nada de Kong na cidade. Ele é feroz, incontrolável, quase insano. É o protetor daquela ilha e destrói tudo que entende como desequilíbrio do seu meio. O filme coloca o gigantesco animal, de 32 metros, contra os pequeninos helicópteros. Para Kong, que vive em uma ilha de monstros com porte quase equivalente ao dele, parece que as máquinas voadoras são apenas mosquitos gigantes com a capacidade de ferir.  




O elenco repleto de estrelas como John Goodman, Samuel L. Jackson, Tom Hiddleston, Brie Larson (O Quarto de Jack) John C Reilly , Toby Kebbell (de Ben Hur) e Thomas Mann (Projeto X: Uma Festa Fora de Controle) não funciona como desejado e essa é uma parte complicada, visto que o filme não centra o tempo todo em Kong. Dar importância cênica a essa gama de atores não seria algo fácil. O jovem diretor Jordan Vogt-Roberts não havia ainda feito um filme de grandes proporções e já pegou de cara um filme com muita responsabilidade. 




Mas o diretor tem suas qualidades e o uso da câmera é uma delas. Suas tomadas são feitas por ótimos ângulos, a narrativa é boa, as cenas de ação (principalmente com Kong) são excelentes. Os combates de ótimo gosto e Kong ficou imponente e furioso (ainda que se movimente de forma muito ereta, quase não se curvando). A fotografia a cargo de Larry Fong (300, Watchmen, Batman vs Superman e O Predador (2018) ) deu ótimos tons de cores ao filme, A ambientação nos remete realmente aos anos 70. A trilha sonora é um achado e os efeitos especiais agregam muito ao filme. Há referências a outros filmes? Sim, o cinéfilo que assistir as encontrará. A principal fica por conta de "Apocalipse Now" de Francis Ford Coppola (a ilha, o barco, as bombas, o helicóptero e o enlouquecido). Um filme visualmente muito bem concebido. Há uma cena ou outra que pega referências aos filmes de 1976 e 2005.




Existe um projeto audacioso da produtora Legendary de criar uma franquia de monstros. O primeiro foi Godzilla (2014), agora este Kong e há a expectativa do lançamento de mais dois filmes de um desses monstros separados e juntos. Logo, o filme tem que dar certo. E dá para o que se propõe: um vigoroso blockbuster, cuja finalidade é dar ao espectador quase 2 horas de diversão descompromissada. Mas o elenco não correspondeu. Samuel L Jackson aposta na entonação de voz, olhar e falas gritantes para convencer o espectador de que é mal. Tom Hiddleston não criou empatia com Brie Larson. O personagem de John Goodman começa prometendo depois vai perdendo a força. Colocar dois atores do elenco dos vingadores (e uma futura atriz) não melhorou o filme, apenas trouxe o desejado: visibilidade




John C. Reilly sempre foi um ótimo ator, ainda que o público brasileiro não o identifique em um filme em questão, ganha a simpatia do público de imediato e coloca o restante do elenco no bolso.É dele que o espectador descobre que Kong ainda está crescendo, que há um predador capaz de destruir o enorme símio e como fora parar naquela ilha e ali permaneceu por quase quarenta anos. Ele é o fio condutor da história e o alívio cômico. É quem sabe todos os mistérios e predadores que ali existem, ainda que não lhe deem a devida atenção.. O restante do elenco está em cena para morrer ou sobreviver de formas que causem alguns leves sustos, bem criativos por sinal.



Kong: A Ilha da Caveira não quer se comparar ao filme de 1976, que muitos acham melhor, ou a versão de Peter Jackson de 2005 que concebeu um filme que, visualmente, enche os olhos. Mas também não é um King Kong 2 (King Kong Lives de 1986), a infame continuação de 1976, que trazia no elenco o Macacão de volta à vida acompanhado de Linda Hamilton (O Exterminador do Futuro) e  Brian Kerwin. 
Kong é uma aposta (de 185 Milhões) e sua função é arrecadar bons valores e abrir caminho para uma nova franquia. Se prestarmos bem a atenção no título ainda não há um King (Kong). Essa sacada ficou reservada para as cenas após os créditos finais (que a maioria não vem assistindo porque os cinemas ascendem as luzes e tocam o pessoal pra fora). 



Kong: A Ilha da Caveira deve gerar opiniões distintas: para quem deseja um filme com ótimas cenas de ação, atores famosos é um divertimento certo e, sem dúvidas, poderá agradar, pois nesse quesito ficou acima das expectativas. Mas se você deseja ver um filme superior ao que já havia visto, com aquele clima de romance e o gigantesco símio com um coração quase humano poderá se decepcionar. Esta não é a proposta do filme. 
Indicado para quem curte cinema escapista. É filme para ser assistido em cinema e, em 3D, as cenas ficam ainda melhores. Boa diversão.

Trailer:




Curiosidades:

Samuel L. Jackson foi indicado ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por "Pulp Fiction: Tempo de Violência" (1994)

Brie Larson conquistou o Oscar de Melhor Atriz pelo filme "O Quarto de Jack "(2015) . Será a Capitã Marvel no próximo filme dos Vingadores.

John C. Reilly  foi indicado ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por "Chicago" (2002)

Tian Jing  pode ser vista no filme "A Grande Muralha" ao lado de Matt Damon

Terry Notary é o coreografo por trás de Kong. Notary esteve em filmes como "Avatar", "Hobbit" e a nova saga "Planeta dos Macacos" onde faz movimentos e feições do personagens dos filmes.

O brasileiro Jorge Ben Jor está na trilha sonora com "Brother"

Toby Kebbell ( Beh-Hur 2016) faz o papel de um soldado e de Kong em alguns momentos 

 












Trilha Sonora;
Paranoid  -  Black Sabbath
Brother  -   Jorge Ben Jor
Ziggy Stardust  - David Bowie
Bad Moon Rising  -   Creedence Clearwater Revival
Run Through the Jungle  - Creedence Clearwater Revival
Long Cool Woman (In A Black Dress)  -  The Hollies
White Rabbit  -  Jefferson Airplane
Time Has Come Today  -  The Chambers Brothers
Mat Troi Den  -  Minh Xuân
Down On The Street  -  The Stooges
We'll Meet Again -   Vera Lynn




Poster comparado a "Apocalipse Now" :


 
Filmografia Parcial:

Tom Hiddleston













Conspiração (2001); Miss Austen Regrets (2008); Archipelago (2010);  Thor (2011);  Meia-Noite em Paris (2011); Cavalo de Guerra (2011); The Avengers: Os Vingadores (2012); Amantes Eternos (2013); Muppets 2: Procurados e Amados (2014); A Colina Escarlate (2015); Kong: A Ilha da Caveira (2017); Thor 3: Ragnarok (2017)

John C. Reilly

 









 
Pecados de Guerra (1989); Não Somos Anjos (1989); Dias de Trovão (1990); Neblina e Sombras (1991); Gilbert Grape: Aprendiz de Sonhador (1993); O Rio Selvagem (1994); Eclipse Total (1995); Boogie Nights: Prazer Sem Limites (1997); Além da Linha Vermelha (1998); Magnólia (1999); Nunca Fui Beijada (1999);  Mar em Fúria (2000); Gangues de Nova York (2002); Chicago (2002); As Horas (2002); O Aviador (2004); Água Negra (2005); A Promoção (2008); Quase Irmãos (2008); Cyrus (2010); Precisamos Falar Sobre o Kevin (2011); Deus da Carnificina (2011); Guardiões da Galáxia (2014); Os Cowboys (2015); Kong: A Ilha da Caveira (2017); Stan and Ollie (2018); Holmes and Watson (2018) 
 
John Goodman

 









 
Caçada Impiedosa (1983); Os Amantes de Maria (1984); Acerto de Contas (1986); Arizona Nunca Mais (1987); Palco de Ilusões (1988); Vítimas de uma Paixão (1989); Além da Eternidade (1989); Aracnofobia (1990); Matinee - Uma Sessão Muito Louca (1993); Na Roda da Fortuna (1994); Os Flintstones: O Filme (1994); Possuídos (1998); O Grande Lebowski (1998); Aposta Mortal (1999); Uma Vida Sem Limites (2004); Baila Comigo (2005); A Volta do Todo Poderoso (2007); Sentença de Morte (2007); Speed Racer (2008); A Papisa Joana (2009); Seita Mortal (2011); O Artista (2011); Argo (2012); O Voo (2012); Se Beber, Não Case! Parte III (2013); Trumbo - Lista Negra (2015); Rua Cloverfield, 10 (2016); Kong: A Ilha da Caveira (2017); Captive State (2018)

Samuel L. Jackson












Um Príncipe em Nova York (1988); Faça a Coisa Certa (1989); Vítimas de uma Paixão (1989); O Casamento de Betsy (1990); O Exorcista III (1990); Os Bons Companheiros (1990); Jogos Patrióticos (1992); Máquina Quase Mortífera (1993); Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros (1993); Attica: A Solução Final (1994); Pulp Fiction: Tempo de Violência (1994); Duro de Matar 3: A Vingança (1995); Tempo de Matar (1996); 187: O Código (1997); Jackie Brown (1997); 187: O Código (1997); A Negociação (1998); O Violino Vermelho (1998); Star Wars: Episódio I - A Ameaça Fantasma (1999); Do Fundo do Mar (1999); Shaft (2000); Corpo Fechado (2000); Fora de Controle (2002); Star Wars: Episódio II - Ataque dos Clones (2002); Triplo X (2002); Violação de Conduta (2003); S.W.A.T.: Comando Especial (2003); Kill Bill: Volume 2 (2004); Coach Carter: Treino para a Vida (2005); xXx 2 - Estado de Emergência (2005); Star Wars: Episódio III - A Vingança dos Sith (2005); Serpentes a Bordo (2006); Entre o Céu e o Inferno (2006); O Resgate de Um Campeão (2007); 1408 (2007); Jumper (2008); Homem de Ferro (2008); O Vizinho (2008); Homem de Ferro 2 (2010); Homem de Ferro 2 (2010); Thor (2011);  Capitão América: O Primeiro Vingador (2011); The Avengers: Os Vingadores (2012); Django Livre (2012); Oldboy: Dias de Vingança (2013); RoboCop (2014); Capitão América 2: O Soldado Invernal (2014); Vingadores: Era de Ultron (2015); Os Oito Odiados (2015); A Lenda de Tarzan (2016); O Lar das Crianças Peculiares (2016); xXx: Reativado (2017); Kong: A Ilha da Caveira (2017); Avengers: Infinity War (2018); Capitã Marvel (2019)

Thomas Mann













Projeto X: Uma Festa Fora de Controle (2012); João e Maria: Caçadores de Bruxas (2013); O Experimento de Aprisionamento de Stanford (2015); Escola de Espiões (2015);  Kong: A Ilha da Caveira (2017); Amityville: O Despertar (2017); The Land of Steady Habits (2017) 

Brie Larson 

 









De Repente 30 (2004); Scott Pilgrim Contra o Mundo (2010); Anjos da Lei (2012); Como Não Perder Essa Mulher (2013); O Quarto de Jack (2015); Kong: A Ilha da Caveira (2017); Vingadores: Guerra Infinita (2018); Capitã Marvel (2019)

Toby Kebbell 













Alexandre (2004); Ponto Final: Match Point (2005); Controle: A História de Ian Curtis (2007); Rock'n'Rolla: A Grande Roubada (2008); Príncipe da Pérsia: As Areias do Tempo (2010); O Aprendiz de Feiticeiro (2010); Cavalo de Guerra (2011); Fúria de Titãs 2 (2012); Quarteto Fantástico (2015); Warcraft: O Primeiro Encontro de Dois Mundos (2016); Ben-Hur (2016); Sete Minutos Depois da Meia-Noite (2016); Kong: A Ilha da Caveira (2017), Category 5 (2017) 

Corey Hawkins 

 











Homem de Ferro 3 (2013); Sem Escalas (2014); Straight Outta Compton: A História do N.W.A. (2015); The Walking Dead (seriado 2015-2016); Kong: A Ilha da Caveira (2017); 24: Legacy  (seriado 2016-2017) 

Shea Whigham

 









Tigerland - A Caminho da Guerra (2000); Os Reis de Dogtown (2005); Marcas do Passado (2006); Manipulador de Cérebros (2009); Velozes e Furiosos 4 (2009);  Renascido das Trevas (2009); Machete (2010); O Abrigo (2011); O Lado Bom da Vida (2012); Velozes & Furiosos 6 (2013); Trapaça (2013); O Lobo de Wall Street (2013); Sem Escalas (2014); Kong: A Ilha da Caveira (2017); Death Note (2017)